Autores

Manuel Bandeira

Nasceu em Recife, PE, em 1886. Em 1902, teve seu primeiro poema, um soneto em alexandrinos, publicado na primeira página do Correio da Manhã, no Rio de Janeiro. Entre 1903 e 1904, cursou Arquitetura na Escola Politécnica e Desenho de Ornato no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo, mas abandonou os cursos devido à tuberculose. Na Suíça, onde esteve entre 1913 e 1914, tomou contato com a literatura de vanguarda francesa.

De volta ao Brasil, em 1917, passa a viver no Rio de Janeiro, onde publicou seu primeiro livro: A cinza das HorasDaí em diante, trabalhou intensamente como escritor, poeta, crítico literário e tradutor. Apoiou a Semana de Arte Moderna de 1922 e aproximou-se de vários modelos estéticos da literatura sem nunca aderir efetivamente a nenhum deles. Em 1940, é eleito membro da Academia Brasileira de Letras, e em 1942 membro da Sociedade Felipe d’Oliveira. 

Bandeira recebeu vários prêmios por sua obra, entre eles o prêmio da Sociedade Felipe d’Oliveira em 1937 pelo conjunto da obra e o prêmio de poesia do Instituto Brasileiro de Educação e Cultura em 1940, também pelo conjunto da obra. Sua posição na poesia brasileira é das mais importantes, sendo um dos pioneiros do Modernismo e o principal introdutor do movimento. Mário de Andrade o definiu como “o São João Batista do Modernismo”. O escritor faleceu em decorrência de uma parada cardíaca no Rio de Janeiro em 1968, aos 82 anos.

Livros

Ver os livros desse autor(a)

Vídeos
image
Manuel Bandeira nos guia por Ouro Preto
image
Affonso Romano fala sobre a obra "Carnaval"
image
Trecho do poema Antologia - obra "Estrela da Tarde"