Espaço do Professor

Lançamentos

As crônicas deste livro foram publicadas em diversos jornais entre janeiro de 1950 e dezembro de 1952, época em que Rubem Braga já era considerado um expoente da crônica na imprensa brasileira. Graças ao seu lirismo e ao seu raro dom para captar e transmitir aquilo que parece sem importância, Rubem não se furta a destacar em suas crônicas o que pode haver de misteriosamente belo nas angústias e incertezas que a vida apresenta.

Álvaro de Campos não é apenas um heterônimo de Pessoa como Alberto Caeiro e Ricardo Reis – os três únicos que receberam esse estatuto. Além de ter tido, como os outros, uma vida e um estilo próprios, e, por isso, uma inteira independência face ao seu criador, Campos saltava do palco da ficção em que fora idealizado para o rés-do-chão da realidade e intervinha no dia-a-dia do seu duplo (namoro, entrevistas aos jornais, etc).

Manuel Bandeira, 133 anos: a herança de bichos que não são bichos

Você nasce num mundo em que as pessoas não têm telefone em casa, morre apenas um ano antes de o homem chegar à lua de foguete. Anda por ruas sem carros quando criança, morre ao som de engarrafame…...


Veja também

As muitas vidas de Sagarana ou Guimarães Rosa numa hora destas?


Ayrton Senna do Brasil


Em 1933, após exaustiva pesquisa, Gilberto Freyre publica Casa-grande & senzala, livro que revoluciona os estudos no Brasil, tanto pela novidade dos conceitos quanto pela qualidade literária. Passados 80 anos, continua sendo um clássico da nossa literatura, mostrando, com beleza e vigor, a formação do povo brasileiro pela mistura de raças e culturas.

Obra magistral, e o maior desafio de Darcy Ribeiro, O povo brasileiro é uma tentativa de compreender quem somos, o que somos e a importância do nosso país. Talvez uma tarefa dura, mas imprescindível, pois segundo Darcy: “Este é um livro que quer ser participante, que aspira a influir sobre as pessoas e ajudar o Brasil a encontrar-se a si mesmo”.

[ Ver mais ]

As 26 crônicas selecionadas para esta antologia destinada aos jovens, sendo 9 delas inéditas em livro, permitem que os leitores vislumbrem a percepção luminosa de Gilberto Freyre sobre a vida em movimento. Temos aqui um dos maiores intérpretes do Brasil expondo sua visão sobre culturas, experiências e dilemas, sempre oferecendo a fértil perspectiva de um observador perspicaz da ação humana.

Caio sumiu do mapa, de sua família rica, da namorada tão gata quanto possessiva, dos amigos… e, o que é pior, Caio sumiu de si mesmo. Tudo por causa daquela maldita caverna. O garotão não se reconhece mais, não cabe nas roupas e nem na vida que tinha antes de se meter nessa estranha e perigosa aventura de onde não consegue voltar.

A caverna

Toni Brandão

[ Ver mais ]

Os poemas aqui reunidos – cada qual com vida própria – formam um longo e único poema, lírico e épico ao mesmo tempo em que conta a história de Tiradentes, o mártir da Inconfidência Mineira.
Elaborado por meio de uma profunda pesquisa, a conspiração revolucionária de poetas é recriada com maestria pela imensa poeta Cecília Meireles.

Livro de estreia de Cora Coralina, publicado quando a autora tinha 75 anos. Com simplicidade de expressão, amor pelo semelhante, comunicação humana, a autora se impôs como uma personalidade forte, sabendo dizer as coisas como só ela.

[ Ver mais ]

Esta é uma história com duas meninas e um menino, duas patas e um tatu-bola.
Ao longo do livro, Bartô brinca com as palavras, com os números e com os símbolos usados pela matemática, fazendo somas e subtrações não só com números, mas também com palavras e frases.

2 Patas e 1 Tatu

Bartolomeu Campos de Queirós

A obra traz em si uma manifestação popular conhecida em todo o país, sendo uma das festas mais importantes do folclore brasileiro.
Com capa dura e nova diagramação, Roger Mello, além de ter revisto todo o texto, com cuidado a cada palavra e métrica, incluiu uma nova ilustração e novas vinhetas.

[ Ver mais ]